Archive for Novembro, 2008

À volta dos peixes – parte II

Como ficou combinado, voltamos aos peixes desta vez para estudarmos algumas das suas características por dentro e por fora.

Começámos pela Dourada, já foi este o peixe que elegemos para a nossa receita, e chegámos a algumas conclusões através dos registos orais das crianças:

Habitat

“Mora no mar”; “Gosta do mar quentinho”; “Às vezes gosta da água doce e salgada toda junta.”;”Nada no fundo do mar”; “Mora na água”;

Reprodução

“Põe ovos como as galinhas”; “Põe ovos no Verão”

Alimentação

“Come o que está dentro das conchas”; “Tem dentes para comer os peixes”

Características relevantes

“Eu vi, é cinzenta!”;”Tem espinhos e escamas.”; “Por fora tem escamas e por dentro tem tripas”; “É grande, tem escamas, tem tripas e espinhas por dentro”; “É gordinha”; “É boa para comer”; “Tem barbatanas e dentes na boca.”; “Tem um rabo, é grande!”; “Tem sangue”

Também enfeitámos a sala como muitos peixes divertidos cheios de escamas e de espinhas e jogámos ao divertido jogo do pescador.

Peixesimagem-002à pesca

Anúncios

Comments (1) »

À volta dos peixes

Depois da visita à Lagoa e Praia dos Salgados e do registo oral acerca dos elementos da beira-mar, a “descoberta” dos peixes foi inevitável. Estes são os animais mais facilmente identificáveis, pelas crianças como elementos da beira-mar e estão indubitavelmente relacionados com a água (sem ela não sobrevivem!).

O grupo partiu então para o estudo sobre esta espécie e estamos a trabalhar a temática dos peixes de diferentes formas. Iniciámos pelos peixes como alimento– a partir das aves marinhas que se alimentam de peixe, reflectimos que outras espécies também se alimentam de peixe e chegámos a algumas conclusões. Descobrimos que também nós (humanos) comemos peixe e que este desempenha um papel importante na nossa dieta alimentar. As crianças identificaram alguns peixes que costumam comer e os que mais gostam. Seleccionámos uma receita que confeccionámos e enviámos para o Projecto ” Saber Comer para Melhor Crescer” promovido pela C.M.A. .

Pretendemos continuar à volta dos peixes, pelo que iremos regressar a esta temática. Por ora, aqui fica a receita… para quem tiver vontade de experimentar coisas novas.

DOURADA NO FORNO

Ingredientes (para 4 pessoas)receita2

  • 1,2 Kg de dourada
  • 500 g de batatinhas
  • 300 g de cenouras
  • 2 Dentes de alho
  • 1 Cebola
  • 1 Tira de aipo
  • 2 Tomates maduros grandes
  • Sal e limão q.b.

Modo de confecção

  1. Corte as douradas em postas, tempere-as com sal e limão e coloque-as num tabuleiro. Deixe tomar o gosto. Lave as batatinhas e escalde-as, com pele, em água e sal. Junte as cenouras (previamente descascadas e cortadas aos cubos).
  2. Retire a pele das batatinhas e reserve-as juntamente com a cenoura. Pique o alho, a cebola, o aipo e o tomate por cima das douradas. Junte as batatinhas e as cenouras.
  3. Leve tudo ao forno a 200º C, durante 45 minutos.

Supermercado-as compras A dourada no forno imagem-025

Bom Apetite!

Leave a comment »

O Retrato do S. Martinho

O dia de São Martinho impôs uma pausa nos trabalho à volta da beira-mar, já que as conversas acerca das castanhas eram inevitáveis. Mas como dar a volta à situação? Giuseppe Arcimboldo foi a “salvação”!

arcimboldo-outono

Quem foi este pintor?

Giuseppe Arcimboldo foi um pintor italiano que viveu entre 1527 e 1593. As suas obras principais incluem a série “As quatro estações”, onde usou, pela primeira vez, imagens da natureza, tais como frutas, verduras e flores, para compor fisionomias humanas. A ideia de reproduzir as estações como pessoas já era usada desde a época dos romanos, no entanto Arcimboldo foi o pioneiro na utilização de vegetais de cada época, na composição de rostos humanos.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Giuseppe_Arcimboldo

As primeiras observações das crianças foram esclarecedoras: “É uma cara de comida”; “tem frutas”. Sugeri então que observassem com atenção as frutas que constituíam a cara do homem e quais as cores predominantes. Qual seria a estação do ano representada? e o que servia de boca? Seria o ouriço da castanha?

Em pequenos grupos, foram distribuídas algumas frutas do Outono e que víamos no quadro de Giuseppe Arcimboldo. Foi então pedido às crianças que contornando as frutas, elaborassem o “retrato” do S. Martinho e recontassem a sua lenda. Saíram grandes retratos do São Martinho… estes miúdos são uns artistas!

Giuseppe Arcimbolbo Arcimbolbo imagem-027

Leave a comment »

Observação de aves

garca-branca ostraceiro galeirao

galinha-de-agua gaivota corvo-marinho

Quando abrimos a caixa pedagógica “à descoberta da beira-mar” o Ostraceiro com o seu bico vermelho chamou a atenção de todas as crianças. Lembravam-se do melro que vivia no campo e quiseram também ouvir o cantar do Ostraceiro… era diferente!

Nada melhor para conhecer a beira-mar do que uma visita de estudo à praia, ou não vivêssemos no Algarve! Escolhemos a Praia dos Salgados por ter também uma lagoa, ideal para a observação de aves.

Para esta actividade, mais conhecida por birdwatching seguimos à risca os conselhos da Sociedade Portuguesa para o Estudo de Aves.

  • Os binóculos (os de brincar e os a sério) que constituem um instrumento indispensável a quem se quer iniciar na observação de aves;
  • O guia de campo, fundamental para identificar as aves observadas;
  • Um caderno de campo (caderno naturalista) para anotar os “pormenores” das aves observadas.

Durante o percurso as crianças interiorizaram a necessidade de não fazer barulho, para não assustar as aves e para ouvir o seu cantar… o que nem sempre foi fácil.

Após o registo gráfico e a identificação de algumas aves, caminhamos até à beira-mar e recolhemos algum material que analisamos superficialmente à lupa. As crianças referiram o que tinham visto:

  • Pedras;
  • Conchas;
  • Paus;
  • Areia;
  • O mar
  • Barcos no mar;
  • Beatas de cigarros!

Reflectimos um pouco acerca da existência de lixo na praia que também tínhamos encontrado no caminho para a praia: deveria lá estar?  Fazia bem ao ambiente?. Foram apontadas algumas soluções como colocar o lixo no ecoponto ou no caixote do lixo!

Já no Jardim de Infância, quando fizemos a avaliação da visita de estudo, todos referiram com ponto alto a observação das aves. Estas vão ser tema de estudo e de trabalho durante a próxima semana.

Leave a comment »

Recados, cadernetas, bolsas individuais

Porta cadernetas - bolsas individuais Porta cadernetas- bolsas individuais 100_3348

Todos os anos temos cadernetas dos alunos novinhas em folha, no entanto, a sua utilização não era praticável numa sala de 25 crianças ágrafas.

Este ano, decidi criar um novo sistema (à experiência). Cada criança tem uma bolsinha individual que está colocada junto à porta da sala. Sempre que existam recados ou mensagens importantes, estes serão agrafados às cadernetas e os encarregados de educação serão avisados para que verifiquem a caderneta (podem levá-la para casa e devolvê-la no dia seguinte, colocando-a novamente na bolsa).

No caso das autorizações para visitas de estudos, devem destacar a autorização e entregá-la à Ana, para que se facilite o trabalho. Conto com a colaboração e compreensão de todos se alguma coisa não funcionar bem.

Nota: as cadernetas do ano passado não são para serem devolvidas.


Leave a comment »

A nossa sala no “Sair da Concha”

Disseram-me que o trabalho que fizemos acerca do Projecto “Sair da Concha” já estava na página da Ciência Viva. Fui espreitar e… aqui fica o convite!

http://www.viveraciencia.org/index.php?option=com_content&task=view&id=95&Itemid=131

Leave a comment »